“Scanners”: o intelecto e a víscera

"Não gosto da vida verdadeira e por isso me dedico à ficção. Se a literatura não existisse, eu mesmo a inventaria."
Enrique Vila-Matas

Últimas

Artigos relacionados